3 passos para a libertação emocional

Você já se sentiu preso em um relacionamento? Seus relacionamentos perecem pesados, trabalhosos e desgastantes?



Descubra as 3 Etapas para a Libertação Emocional, baseado nos estudos de Marshall Rosenberg:


Estagio 1: Escravidão Emocional: Neste estágio acreditamos que somos responsáveis pelos sentimentos dos outros. Esforçamo-nos constantemente para manter todos felizes… e se eles não estão felizes, nos sentimos compelidos a fazer alguma coisa para melhorar a situação.


Esta atitude pode nos levar a ver as pessoas que estão próximas de nós como um fardo.


Sentir-se responsável pelos sentimentos dos outros pode ser muito prejudicial aos

relacionamentos, pois, gera ansiedade e consequentemente a fuga.

A pessoa que se sente responsável vive assustada por estar em um relacionamento, pois cada vez que vê o seu parceiro sofrer ou precisar de alguma coisa se sente muito ansiosa e rapidamente sai do relacionamento.


Essa reação é comum em pessoas que vivem o amor como negação das próprias necessidades, a fim de atender as necessidades do par. Ao ver a pessoa amada sofrer se sente perdido e simplesmente tem que se libertar. Também é comum culpar o outro pela deterioração do relacionamento, dizendo:


“A pessoa amada tem tantas necessidades e é tão dependente que isso está causando

muita tensão para o nosso relacionamento.”


Usando da empatia, o par poderia responder: “Então, é muito difícil para você manter a

dedicação e o amor que temos, sem tornar isso um dever, uma obrigação.. você sente sua liberdade acabando porque acha que tem de tomar conta de mim o tempo todo!”

Esta forma de resposta torna mais fácil a saída da escravidão emocional!

Estágio 2: Ranzinza:

“Sentimos raiva, não queremos mais ser responsáveis pelos sentimentos dos outros.”

Nesse estágio tomamos consciência do alto custo em assumir a responsabilidade pelos

sentimentos dos outros e por tentar satisfazê-los em detrimento dos nossos.


Quando percebemos o quanto de nossas vidas perdemos ao chamado da nossa própria alma, podemos ficar com raiva. Sendo assim, ao nos deparar com o sofrimento da outra pessoa tendemos reagir afirmando que o problema é do outro e que não temos responsabilidade por isso.


Nessa fase fica claro que não somos responsáveis pelos sentimentos das outras pessoas, mas, ainda temos que aprender como ser responsáveis para com os outros de uma maneira que não nos escravize emocionalmente.

Nesse momento também tendemos a expressar nossas necessidades de forma rígida e

inflexível. Temos de aprender a expressar nossas necessidades de modo confortável e

respeitoso as necessidades dos outros, e arriscar lidar com a contrariedade dos mesmos.

Estágio 3: Libertação Emocional:


Nesse estágio respondemos as necessidades dos outros por compaixão e nunca por medo, culpa ou vergonha. Com isso nossas ações realizam a nós mesmos e aqueles que são objetos de nossos esforços.


Aceitamos total responsabilidade por nossas intenções e ações, mas não pelos sentimentos dos outros. Neste estágio também temos a percepção de que nunca poderemos satisfazer nossas próprias necessidades à custa dos outros.

A libertação envolve afirmar claramente o que necessitamos, de maneira que deixe obvio que estamos igualmente empenhados em que as necessidades dos outros sejam satisfeitas.


Em qual estágio você mais se encontra? Vamos iniciar uma transição?

10 visualizações

(21) 99771-6789

Recreio dos Bandeirantes - RJ

Psicóloga Emanuelle Mendes

CRP 05/51041

  • Instagram ícone social

@psicologaemanuellemendes